Valdevan Noventa - Um líder não nasce por acaso!

16 de Abril de 2018

Abril Verde: SINDMOTORISTAS apoia redução de acidentes do trabalho

Abril Verde: SINDMOTORISTAS apoia redução de acidentes do trabalho

O SINDMOTORISTAS tem aderido ao “Abril Verde”, reforçando a importância da adoção de medidas que visam a redução de acidentes no trabalho.  A campanha busca alertar sobre os altos índices de ocorrências envolvendo funcionários de diferentes setores.

Para se ter uma ideia, entre 2012 e 2017, a Previdência Social gastou mais de R$ 26 bilhões com benefícios acidentários. Isso sem contar a quantidade de afastamentos previdenciários.  Para o presidente Valdevan Noventa, o cenário reflete as más condições de trabalho oferecidas a muitas categorias e a, consequente, falta de prevenção. Ele acredita ser necessário uma mudança cultural.

“Não é possível que não se perceba os prejuízos causados à sociedade brasileira. Prevenir é o caminho mais eficaz para revertermos o quadro alarmante que estamos presenciando. O nosso Sindicato apoia essa luta e está sempre atento para evitar que os companheiros de transporte entrem para as estatísticas. Nesse mês, em especial, intensificamos as discussões voltadas a esse tema”, garantiu Noventa.

Para quem não sabe, abril foi escolhido em razão da morte de 78 trabalhadores. Mais precisamente, foi no dia 28 de abril de 1969, que ocorreu uma explosão na mina da cidade de Farmington, estado da Virgínia, nos Estados Unidos. Diante desse fato, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) também instituiu, em 2003, o Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes de Trabalho. Sobre a cor, o verde está associado aos cursos relacionados à saúde. No SINDMOTORISTAS, o trabalho dos cipeiros mostra a preocupação da entidade diante das condições de trabalho, saúde e segurança da categoria.

“Definimos pelo voto aqueles companheiros que serão responsáveis por essa questão, pois entendemos que é preciso ter compromisso com o bem-estar dos trabalhadores. Defendemos uma ação efetiva, que atenda aos anseios dos companheiros. Todas as empresas devem ter essa visão e eleger grupos que estejam prontos para acolher as reivindicações dos funcionários. Em pleno século XXI, não podemos ainda ter tantos acidentes de trabalho”, destacou Valdevan Noventa.