Valdevan Noventa - Um líder não nasce por acaso!

1 de Março de 2018

Após denúncia do SINDMOTORISTAS, Expresso Tiradentes ficará fechado por seis meses

Após denúncia do SINDMOTORISTAS, Expresso Tiradentes ficará  fechado por seis meses

Após uma denúncia feita pelo Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo (SINDMOTORISTAS), o Expresso Tiradentes, o antigo Fura-fila, criado na gestão Pitta, ficará interditado por seis meses. Será o período necessário para que a Prefeitura tome as devidas providências, devolvendo-o à população e aos motoristas de ônibus em perfeito estado e sem riscos de acidentes. A previsão é de que o trecho avariado, de aproximadamente 300 metros, seja reaberto apenas no segundo semestre deste ano. O espaço em questão fica entre a rua Dona Ana Néri e o Terminal Parque Dom Pedro 2º, no sentido centro.

Conforme divulgado recentemente pelo Sindmotoristas, o bloqueio do Expresso Tiradentes aconteceu no dia 3 de fevereiro, quando foi constatado um afundamento da pista em 20 centímetros. O problema foi detectado pelos condutores da Via Sul que, imediatamente, entraram em contato com o presidente Valdevan Noventa. Sempre atento as reivindicações dos trabalhadores, o atual representante da categoria enviou um ofício à SP Trans (Secretaria Municipal de Transportes e Mobilidade) no dia 31 de janeiro, exigindo reparo no sopalamento (declive) da pista. Na ocasião, Noventa foi prontamente atendido. O próximo passo seria definir por quanto tempo o local ficaria interditado para execução da obra.

Mais uma vez saímos vitoriosos diante de um anseio ou reclamação dos trabalhadores. Atuamos prontamente para evitar que a vida dos companheiros e pedestres fosse colocada em risco. Mas, isso não era suficiente. Precisávamos obter uma resposta em relação ao que seria feito no local. Não arrefecemos até que nos passassem um posicionamento. Enfim, a administração municipal vai cumprir o seu papel e realizar o serviço necessário para que o trecho seja restabelecido. Vamos acompanhar os trabalhos de perto para que seja resolvido o mais rápido possível minimizando transtornos”, afirmou Valdevan Noventa.

No local, circulam mais de 60 mil passageiros por dia em ônibus articulados e biarticulados. Durante o bloqueio da pista, os coletivos devem trafegar pela faixa lateral da Avenida do Estado, trecho com trânsito intenso pela manhã. “É importante que a obra seja concluída no menor tempo possível para que os paulistanos e a nossa categoria não tenham a sua rotina alterada por um período muito longo”, destacou o presidente do Sindmotoristas.