Valdevan Noventa - Um líder não nasce por acaso!

20 de Fevereiro de 2018

Após queixa de motoristas, sindicato garante interdição do Expresso Tiradentes

Após queixa de motoristas, sindicato garante interdição do Expresso Tiradentes

Uma denúncia feita pelo presidente do SINDMOTORISTAS, Valdevan Noventa, garantiu, mais uma vez, a segurança dos trabalhadores em transportes e da população paulistana. Um ofício encaminhado pela entidade à SPTrans (Secretaria Municipal de Transportes e Mobilidade) garantiu a interdição de um trecho de aproximadamente 300 metros do Expresso Tiradentes, o antigo Fura-Fila.

Não podemos permitir que vidas sejam colocadas em risco. É preciso que sejam tomadas providências imediatas, já que no local circulam mais de 60 mil passageiros por dia útil. Graças à denúncia e a ação efetiva do Sindicato conseguimos, pelo menos, que o local fosse fechado, evitando acidentes ou uma tragédia maior”, afirmou Noventa, sempre atento aos problemas no setor de transporte público e as queixas da categoria.

O presidente soube do problema por meio dos condutores da Via Sul, que registraram o afundamento da via.“O fechamento foi necessário devido ao afundamento da pista em 25 centímetros. O documento foi encaminhado à Prefeitura no dia 31 de janeiro e o bloqueio aconteceu no último dia 3 de fevereiro”, conta o presidente.

O trecho em questão fica entre a rua Dona Ana Néri e o Terminal Parque Dom Pedro 2º, no sentido centro. Passam pela área ônibus articulados e biarticulados. No ofício enviado à SPTrans, o SINDMOTORISTAS solicita que seja feito o reparo no solapamento (declive da via) da pista e que a secretaria, junto aos órgãos responsáveis, possa o mais breve possível minimizar os transtornos aos trabalhadores e usuários. Durante o bloqueio da pista, os coletivos devem trafegar pela faixa lateral da Avenida do Estado, trecho com trânsito intenso pela manhã.

Fazemos a nossa parte, mas também é preciso que sejam oferecidas boas condições de trabalho para a nossa categoria. Os trabalhadores não podem sair de suas casas com receio do que vão enfrentar pelo caminho. Isso vale também para os usuários, que pagam uma tarifa cara por um serviço que não oferece garantia de segurança. Continuaremos vigilantes para evitar problemas maiores como o que aconteceu em Brasília, que teve a queda de parte de um viaduto na região central da cidade por falta de manutenção”, finalizou Noventa.

Após o envio do ofício, o sindicato vai acompanhar de perto o restabelecimento do trecho e fazer novas cobranças, se necessário.