Valdevan Noventa - Um líder não nasce por acaso!

4 de Abril de 2018

Comissão de Negociação participa de encontro preparatório com ex-ministro do Trabalho

Comissão de Negociação participa de encontro preparatório com ex-ministro do Trabalho

Os componentes da Comissão de Negociação, que representam os trabalhadores de todas as garagens do sistema, participaram de mais um encontro preparatório. Dessa vez, os 121 membros da comitiva assistiram a palestra do ex-ministro do Trabalho e atual dirigente da Força Sindical, Antônio Rogério Magri.

O clima da reunião foi de preocupação por conta das mudanças negativas que constam da nova Lei Trabalhista e do processo licitatório do transporte público da cidade de São Paulo, que podem ser obstáculos para um acordo entre representantes dos trabalhadores e dos patrões. Por outro lado, os companheiros da comissão guardavam grandes expectativas quanto ao atendimento da pauta de reivindicações, porque no comando da luta dos condutores está o grande líder sindical e habilidoso negociador, o presidente do nosso sindicato, Valdevan Noventa.

Atendendo ao convite do SINDMOTORISTAS, o ex-Ministro do Trabalho e atual dirigente da central Força Sindical, Antônio Rogério Magri, no alto da sua experiência de quem participou de muitas negociações trabalhista e sindical, honrou os participantes com uma palestra.

Magri disse que o pior momento para se fazer a negociação salarial é este. “As novas normas trabalhistas nos colocam quase que de joelhos para negociar contra a elite que governa esse país. Por isso, os companheiros que estão na comissão têm um papel fundamental. Vocês foram escolhidos a dedo. São vocês que sentem os impactos diretos das reuniões salariais e têm a obrigação de serem multiplicadores de informações nos seus locais de trabalho. É assim que fortalecemos o movimento dos trabalhadores para alcançar os objetivos”.

Previdência

O ex-ministro também falou da Previdência Social Brasileira. Afirmou que ela não é deficitária, ao contrário, tem muito dinheiro. “O problema é que o Governo não quer abrir essa caixa preta.  Imagine o INSS como uma calça com uns 20 bolsos, quando falta grana em um bolso ele pega de outro e, assim, ele vai tocando este sistema a décadas. Sou a favor da reforma da Previdência, mas em outros moldes, começando pelas grandes empresas. O trabalhador assalariado não pode arcar com mais esse ônus”.

O assessor político do sindicato, Antônio Ferreira Mendes, finalizou os trabalhos da mesa agradecendo a participação dos membros da comissão e do presidente da NCST/SP, Luiz Gonçalves. Toninho disse que apesar das dificuldades sinalizada pelo  SPURBANUSS já na primeira rodada de negociação, propondo, inclusive, discutir o remanejamento dos cobradores para outros setores, a categoria em geral está bastante otimista na conquista de uma vitória nessa campanha salarial e lembrou uma frase motivacional do presidente Noventa. “Estamos preparados para a guerra e determinados a garantir seja pela via do diálogo ou da luta a valorização dos nossos direitos. Até à vitória”.