Valdevan Noventa - Um líder não nasce por acaso!

20 de Fevereiro de 2018

Desde outubro, sindicato cobra por vacinas contra febre amarela

Desde outubro, sindicato cobra por vacinas contra febre amarela

Muito além da comoção e do sentimento de luto, a morte do trabalhador Davi Evangelista Cavenachi (37), que veio a óbito sob suspeita de febre amarela, causou uma grande preocupação da categoria que se vê exposta a condições de risco e com dificuldade ao acesso às vacinas.

Em entrevista concedida ao G1, Portal de Notícias da Globo, o presidente do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de São Paulo, Valdevan Noventa, contou que desde outubro vem cobrando os órgãos competentes pela imunização dos trabalhadores.

A reivindicação é antiga. No dia 27 de outubro, protocolamos o ofício nº 386/2017, junto a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transporte (SMT), solicitando que a mesma intercedesse a Secretaria Municipal de Saúde pela viabilização de vacinas para todos os trabalhadores da categoria”, informou o presidente.

O ofício ressalta, ainda, que os órgãos priorizem o grupo de risco que estão localizados na zona norte e oeste da capital, como os trabalhadores das empresas Gato Preto G1/III, Santa Brígida G. I e II, e Sambaíba G. I, III e IV. “Esses profissionais estão suscetíveis e se enquadram ao grupo de risco, uma vez que atuam na região de surto”, informa o ofício assinado pelo presidente.

A resposta do protocolo, datada em 5 de janeiro, sob nº 011/18 – SMT.CH.GAB, informou ao sindicato que a solicitação havia sido encaminhada a Secretaria de Saúde. “As cobranças existem. O sindicato está preocupado e atento com a causa. Vamos intensificar os pedidos e cobrar providências com celeridade. Afinal, isso é uma questão de saúde pública e vidas estão em risco. Estaremos acompanhando os andamentos de perto até que as vacinas sejam viabilizadas”, afirmou Valdevan Noventa.