Valdevan Noventa - Um líder não nasce por acaso!

20 de Fevereiro de 2018

“Soube pelo jornal do Sindicato sobre a Aposentadoria Especial”

“Soube pelo jornal do Sindicato sobre a Aposentadoria Especial”

O motorista da VIP M´Boi Mirim, Roberto Dias dos Santos, é o mais novo trabalhador beneficiado com a Aposentadoria Especial.

O companheiro, que esteve no Sindicato nessa última sexta-feira (19), para assinar alguns documentos. Ele não cabia de felicidade. Disse que estava com problemas de saúde decorrentes de anos dirigindo um ônibus e que a aposentadoria veio em boa hora, com a confirmação da Justiça no final de 2017.

Em 2014, lendo um jornal do Sindicato, Roberval soube a respeito da aposentadoria especial e, por orientação do departamento jurídico da entidade, entrou com uma ação judicial com a justificativa de trabalhar 25 anos sofrendo os efeitos da Vibração de Corpo Inteiro (VCI)

Aos companheiros de profissão, Roberval deixou um recado: “Lute por seus direitos, procure o Sindicato e acredite que se aposentar é possível. Obrigado, sindicato. Obrigado, Valdevan”.

Sindicato luta pela Aposentadoria Especial

Desde 1995, quando o, então, Governo FHC “furtou” o direito da aposentadoria especial da categoria dos rodoviários aos 25 anos de trabalho, o Sindicato dos Condutores de São Paulo tem encaminhado diversas ações para que os trabalhadores possam usufruir esse benefício.

Dez anos depois, o Sindicato dos Condutores/SP encomendou novas pesquisas e estudos técnicos à equipe coordenada pelo Dr. Juscelino de Medeiros, advogado especialista em segurança e saúde do trabalho, para analisar a exposição de motoristas e cobradores à VIBRAÇÃO DE CORPO INTEIRO (VCI). A conclusão dos estudos provou que esses trabalhadores desenvolviam suas atividades acima dos limites seguros de saúde e segurança.

Por determinação do presidente Valdevan Noventa, a entidade acirrou a batalha contra o INSS para o reconhecimento da Aposentadoria Especial. Porém, em atendimento às demandas patronais, o ministro do Trabalho, Manoel Dias, publicou a Portaria 1.297 em 13/08/2014 que alterou os limites de exposição à vibração para praticamente o dobro do permitido.

O Sindicato manifestou seu repúdio ao que considerou uma “manobra” que tornou mais difícil o reconhecimento da aposentadoria especial. A Entidade não desistiu da luta. Apesar da Portaria que retirou do trabalhador em transporte a conotação de atividade profissional insalubre, o Sindicato tem alcançando importantes vitórias, mais de mil trabalhadores da categoria garantiram o direito de se aposentarem aos 25 anos, por meio de processos judiciais.