Valdevan Noventa - Um líder não nasce por acaso!

20 de Fevereiro de 2018

Valdevan Noventa reforça campanha contra abuso sexual nos ônibus

Valdevan Noventa reforça campanha contra abuso sexual nos ônibus

O presidente do SINDMOTORISTAS, Valdevan Noventa, intensificou a atuação da entidade no que se refere o combate ao assédio sexual no transporte público. A medida busca reduzir a violência contra a mulher dentro dos coletivos, depois da Secretaria de Segurança Pública (SSP) apresentar um aumento de 35% nos casos de abuso no transporte público da capital paulista. Ao todo, foram registradas 464 ocorrências de janeiro a dezembro do ano passado. Diante do número alarmante, o tema continuará entre as prioridades do sindicato.

Não é de hoje que o presidente dispõe de uma atenção especial para evitar casos de abuso sexual dentro dos ônibus. Preparar os trabalhadores é uma das ações do Sindmotoristas. E os recentes crimes registrados na cidade mostraram que a categoria está preparada para lidar com os fatos. Motoristas e cobradores chegaram a ser vistos como heróis no segundo semestre de 2017 ao tomarem as providências necessárias para acalmar as vítimas e coibir as atitudes do agressor.

O comportamento reflete o trabalho e a preocupação de Noventa, que está engajado em campanhas públicas, como a “Juntos podemos parar o abuso sexual nos transportes” deflagrada no ano passado. “Temos a preocupação de orientar os nossos companheiros sobre como agir em situações de abuso sexual contra as mulheres. Sabemos da importância dos motoristas e cobradores como aliados no combate ao assédio nos coletivos. Vamos seguir em frente com mais essa luta, ajudando a reduzir as estatísticas e melhorando sempre a qualidade do transporte em São Paulo”, afirmou Valdevan Noventa.

Vale lembrar que a preocupação com o bem-estar da mulher também está entre as bandeiras de luta do nosso sindicato, já que a nossa categoria conta com cerca de 5 mil companheiras. Além disso, a violência contra a mulher é um problema geral, de todo o país. Por isso é necessário também fazermos a nossa parte e colaborarmos para acabar com esse grave problema”, completou.

Um dos casos mais polêmicos aconteceu no ano passado, quando um homem ejaculou em uma mulher no ônibus na Avenida Paulista. O rapaz foi preso e depois liberado. Na ocasião, motorista e cobrador atuaram conjuntamente para manter o assediador dentro do ônibus até ser preso pela polícia. Os trabalhadores, inclusive, evitaram o linchamento do agressor. No último dia 1º de fevereiro, a situação se repetiu no Bom Retiro, no centro da capital paulista, quando um homem também foi detido por ejacular em uma mulher.

Mais segurança

A presença do cobrador traz a sensação de segurança dentro do ônibus para os passageiros”, afirmou Bruno Vieira Costa, cobrador da Viação Gato Preto, que estava no episódio da Avenida Paulista. Ele faz a linha 971-M/ Morro Grande – Ana Rosa. De acordo com Bruno, a repercussão na grande imprensa foi bastante positiva e, desde então, os assediadores estão mais cautelosos, pois temem a reação dos trabalhadores em transportes e usuários. Bruno aproveitou para parabenizar o presidente Valdevan Noventa por ter garantido o emprego dos 19 mil cobradores no sistema. Essa luta ganhou o apoio de grande parte da população.